KIT MÍDIA Contato

por: Marcio Nato Rodrigues - Curitiba(PR)

Data: 24/10/2017 às 09h35min - Atualizada em 24/10/2017 às 09h35min
..Duas adolescentes, de 13 e 14 anos de idade, desenvolveram um aplicativo de celular para ajudar mulheres vítimas de abusos sexuais. A iniciativa foi apresentada em uma feira de ciências, que as duas meninas participaram. Alunas do 9º ano do ensino fundamental em uma escola particular, Eduarda Rossi e Lara Prado esperam ajudar as pessoas a denunciarem os crimes.

O aplicativo funciona junto com uma espécie de botão do pânico. Quando a pessoa se sentir ameaçada, pode clicar na tela do aparelho e pedir ajuda. O aplicativo pode ser configurado para tocar um alarme e até enviar mensagens de texto, com a localização da vítima, para pessoas cadastradas na agenda de telefone da usuária.

"Espero que ajude muitas mulheres e ajude à denúncia dessas mulheres, porque às vezes elas têm receio [de denunciar]. Porque quando você aperta o botão, não vai ser você quem vai estar acionando a polícia e sim os seus contatos, sua família, amigos, todo mundo", diz Eduarda.
As duas meninas contam que para chegar ao resultado apresentado na feira fizeram uma ampla pesquisa. Foram três meses preenchendo questionários e fazendo visitas até à Delegacia da Mulher de Curitiba.

O projeto foi coordenado pela professora Cláudia Morgenstern. "O que me surpreendeu foi elas quererem ajudar as pessoas com as quais elas não têm a mesma vivência. Mas depois da pesquisa em que elas viram o número de pessoas que sofrem o assédio, a preocupação com o ser humano, o olhar para o outro, me surpreendeu muito", conta.
O programa e o botão ainda não estão disponíveis no mercado, mas a ideia é que em breve as duas ferramentas possam ser acessíveis à população.

Alunas de escola de Curitiba criam aplicativo para ajudar mulheres vítimas de abuso sexual