KIT MÍDIA Contato

por: Jhenifer Lorena Vieira - Curitiba(PR)

Data: 24/10/2016 às 07h59min - Atualizada em 24/10/2016 às 07h59min
..

Motoristas e cobradores da Viação Tindiquera, que atende a área urbana de Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, entraram em greve nesta segunda-feira (24), porque a empresa não pagou os vales salariais atrasados dos funcionários. A decisão pela greve foi tomada em assembleia realizada na madrugada da última sexta-feira (21), com a organização do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e região (Sindimoc). A paralisação afeta 40 linhas de Araucária.



Hoje, no início da manhã, o principal terminal da cidade estava parado sem ônibus circulando. Os moradores protestavam. “Eles não se acertam e o povo é que sofre. Como faço agora para ir trabalhar? Emprego não tá fácil não”, disse a diarista Flora Silva.



greve-araucaria1



Trabalhadores em frente à empresa Tindiquera nesta manhã



Segundo o Sindimoc, no mês passado, a Tindiquera atrasou o salário em sete dias e só pagou após trabalhadores deflagrarem greve. Nos últimos meses, problema de atraso salarial está voltando a ocorrer nessa empresa e em outras, como a São Jose dos Pinhais Filial.



“Esta não foi a primeira vez que a Viação Tindiquera atrasa o salário. No mês passado, eles não fizeram o pagamento no dia 20 e o dinheiro só caiu na conta no dia 27, após uma greve que durou 13 horas. Agora, novamente o atraso. Hoje, os trabalhadores cruzaram os braços”, afirmou o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira.



A Viação Tindiquera tem aproximadamente 400 motoristas e cobradores.



Outro lado



Sobre a falta de pagamento a seus colaboradores, a Viação Tindiquera informou por meio de nota:



1) A Companhia Municipal de Transporte Coletivo Araucária (CMTC), órgão gerenciador do sistema na cidade, promoveu, de maneira arbitrária e unilateral, a alteração da forma de pagamento à empresa, reduzindo o valor do quilômetro rodado para aquele utilizado em julho de 2010, ou seja, o mesmo valor de seis anos e três meses atrás.



2) Atualmente, portanto, a Viação Tindiquera paga todos os seus custos – salário, combustível, pneus, etc. – com valores atuais e recebe da CMTC um valor como se estivesse em 07/2010, o que afeta sobremaneira a saúde financeira da empresa.



3) Para piorar, além de utilizar essa metodologia, a CMTC não realiza os repasses em dia. O último pagamento parcial dos serviços da Viação Tindiquera foi feito no dia 29 de setembro. Ainda para dificultar o processo, a CMTC vem sistematicamente adiando o fechamento dos mapas diários de trabalho e, quando isso ocorre, passa a retardar a autorização para faturamento.



4) A CMTC deve à Viação Tindiquera mais de R$ 5,9 milhões em serviços realizados e não pagos.



5) A Viação Tindiquera presta serviço há quase 30 anos em Araucária. Nesse período, a empresa sempre buscou oferecer o melhor atendimento aos passageiros e tratar com o maior respeito seus colaboradores. Por isso, lamenta profundamente essa situação, provocada pela CMTC, que causa transtorno a seus funcionários e aos cidadãos de Araucária.



 



Araucária amanhece sem ônibus nesta segunda-feira; empresa não pagou vale e culpa prefeitura