KIT MÍDIA Contato

por: Marcio Nato Rodrigues - Curitiba(PR)

Data: 13/09/2017 às 14h41min - Atualizada em 13/09/2017 às 14h41min
..

Nesta quarta-feira (13), o administrador regional do CIC Raphael Keiji Assahida e o supervisor do distrito sanitário do CIC Cléverson Fragoso estiveram com o vice-presidente da Associação de Moradores da Vila Luana, João Carvalho. O objetivo do encontro foi fazer uma visita à UPA CIC e conversar sobre os entraves relacionados à reabertura da unidade e como a gestão do município está trabalhando para contornar o problema. A previsão é que a unidade seja reaberta até fim deste ano.





“É importante e válida essa atitude da administração, porque é uma satisfação que a gestão dá para a associação e nós podemos repassar para a comunidade. A comunidade nos cobra e nós cobramos a administração do prefeito. Com essa satisfação, é possível dialogar com a comunidade”, diz Carvalho.

Segundo Assahida, esse contato próximo à população é uma orientação do prefeito Rafael Greca. “Independentemente da resposta, precisamos estar próximos, sermos transparentes e darmos respostas verdadeiras”, diz.





Fragoso lembra que a transparência não fica apenas no discurso. “Há dois meses, reuni a comunidade na frente da UPA CIC para explicar os problemas que herdamos da gestão anterior e como estamos fazendo para resolvê-los”, diz.

Orçamento  

De acordo com Fragoso, o fato de a UPA CIC estar fechada remonta problemas orçamentários da gestão anterior, que enfrentou dificuldades de custeio para as UPAs e RH. Segundo ele, a gestão anterior adotou a estratégia de fechar para reforma a cada 6 meses uma UPA e pulverizar os profissionais nas outras unidades, mas sem qualquer previsão orçamentária para equipamentos e equipes para reabertura.

Foram investidos cerca de R$ 300 mil nas obras da UPA CIC, mas o custeio de uma UPA gira em torno de R$ 2 milhões ao mês. Segundo Fragoso, quando a nova gestão assumiu, a UPA CIC estava fechada, com uma reforma por terminar e sem previsão de equipamentos e pessoal para trabalhar na unidade.

Recentemente, segundo Fragoso, esta gestão conseguiu equacionar os recursos para equipamentos e RH para abrir a UPA Tatuquara, também na região sul da cidade. “Em novembro de 2016, a gestão passada inaugurou a UPA Tatuquara apenas com a parte física pronta, sem que a unidade entrasse em funcionamento”, conta.





Agora, depois de colocar em funcionamento efetivamente a UPA Tatuquara, a nova gestão está equalizando a questão de equipamento e RH para colocar em funcionamento a UPA CIC. “A previsão é que a unidade seja reaberta até o fim do ano. A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba está agora trabalhando numa equação que viabilize equipar e contratar pessoal para a UPA CIC”, explica Fragoso.

Reforma





Com a reforma, a UPA CIC terá melhoria no fluxo de atendimento e na segurança de servidores e usuários do SUS. Entre os serviços executados está a completa revisão elétrica e hidráulica, pintura geral interna e externa, revisão da cobertura, substituição de esquadrias de alumínio, troca do piso, instalação de cerâmica, recuperação dos portões e grades, aberturas de vão em portas para garantir acessibilidade, adequação de pontos de água e esgoto e instalação de barras para acessibilidades.





De acordo com Fragoso, situações de saúde não consideradas urgentes são encaminhadas para posto de saúde em que o usuário é cadastrado. Já os atendimentos de urgência e emergência são encaminhados às UPAs. As UPAs, destinadas apenas a atendimentos de urgência e emergência, mais próximas da região são: Tatuquara, Fazendinha, Campo Comprido e Pinheirinho.



Fonte: PMC



Gestão Municipal Trabalha na Reabertura da UPA CIC