KIT MÍDIA Contato

por: Jhenifer Lorena Vieira - Curitiba(PR)

Data: 26/01/2017 às 11h46min - Atualizada em 26/01/2017 às 11h46min
..

Moradores de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, estão preocupados com um concurso da Guarda Municipal realizado em 2012. Segundo denúncia repassada à Banda B, mesmo após o curso de formação, feito no ano passado, os aprovados ainda não têm perspectivas de serem chamados para ocupar o cargo. Em nota, a prefeitura afirmou que o atraso na convocação acontece devido à crise econômica. (Leia texto na íntegra abaixo)





(Imagem ilustrativa – Reprodução Facebook)



“O meu marido passou por todas as etapas e concluiu o processo em 2016. Os aprovados até ganharam o certificado dizendo que estão aptos a trabalhar. Na época, o prefeito chegou a tirar algumas fotos com os guardas e escreveu nas redes sociais que nomearia 29 novos servidores”, contou uma moradora, que preferiu não se identificar, em entrevista à reportagem na tarde desta quinta-feira (26).



De acordo com ela, tudo estava bem até que os aprovados foram avisados de que não seriam mais chamados. “Nós seguimos conversando com a prefeitura, mas, com o tempo, não tivemos mais resposta. Agora parece que eles vão deixar de convocar os guardas, não sei se todos ou só alguns”, relatou.



A família já pediu a ajuda de um advogado e se prepara para entrar na Justiça se nada for feito. “Isso é um absurdo. Todos os participantes tiveram que pedir a conta dos seus antigos empregos para fazer o curso de formação, que começava às 7h e ia até a noite. O meu marido era motoboy, ganhava relativamente bem, e agora está sem trabalho, esperando para ver se essa situação vai ou não se resolver”, completou a moradora.



Sobre o caso, a Banda B entrou em contato com a prefeitura de Fazenda Rio Grande, que enviou a seguinte nota:



Uma das prioridades do município é a chamada de novos guardas municipais, mas infelizmente ela ainda não pode ser feita por causa da grave crise econômica que tem se agravado no país. Essa crise, inclusive, provocou o corte de comissionados e de funções gratificadas, porém, tão logo a situação se amenize os guardas serão chamados.



A Prefeitura ressalta ainda que a Receita e toda sua programação têm sido influenciadas pela queda dos repasses federais e estaduais e para evitar que a crise que atinge todos os municípios se agrave ainda mais, a administração tem priorizado uma gestão eficiente e responsável.



Depois de anunciar convocação de novos guardas, prefeitura volta atrás e culpa crise