KIT MÍDIA Contato

por: Wanderley Vieira - Curitiba(PR)

Data: 10/06/2016 às 16h11min - Atualizada em 10/06/2016 às 16h20min
..

Os ciclistas de Curitiba passam a contar, a partir do dia 10 de junho, com a possibilidade de embarcar sua bicicleta em um ônibus da linha Centenário/Campo Comprido. A experiência será feita com o biarticulado DE 710, adaptado para transportar com segurança duas bicicletas e, se aprovada, será expandida para outras linhas.



O projeto BRT Bike, desenvolvido em parceria pela Urbs e Secretaria Municipal de Trânsito, foi lançado pelo prefeito Gustavo Fruet, que embarcou com sua bicicleta no Terminal Campina do Siqueira, seguindo viagem até a estação Gastão Câmara.



A ideia, explicou o prefeito, é fortalecer a integração de diferentes modais de deslocamento. “É mais uma iniciativa voltada a melhorar a mobilidade e incentivar a convivência em harmonia dos usuários de diferentes modais de deslocamento”, disse ele, lembrando as várias ações já desenvolvidas pela Prefeitura voltadas a incentivar o uso da bicicleta.



É o caso, por exemplo, da implantação da Via Calma, ampliação e integração da malha cicloviária, ciclo rotas distribuídas pela cidade e colocação de paraciclos em todos os terminais de transporte. “Com os paraciclos, as pessoas podem se deslocar dos seus bairros até os terminais de bicicleta e, de lá, fazer o restante da sua rota de ônibus”.



No ano passado, a Urbs implantou paraciclos com um total de 228 vagas para bicicletas – entre cinco e dez vagas em cada terminal. Nesta mesma linha de facilitar a vida do ciclista, a Urbs autorizou os táxis da cidade a instalar adaptadores para transporte de bicicletas. Atualmente 60 táxis estão estruturados para fazer o transporte do passageiro e da bicicleta.



Outro fator de incentivo à integração da bicicleta com o transporte coletivo foi a definição de que, a partir de agora, sempre que houver reforma e ampliação de terminais, o projeto deverá contemplar a implantação de bicicletários no espaço interno. A instalação dessas estruturas só pode ser feita quando houver ampliação do espaço interno dos terminais uma vez que não podem ser instaladas em área de operação dos ônibus.



Avaliação



A experiência iniciada nesta sexta-feira (10) permitirá avaliar tanto a demanda por parte dos ciclistas, quanto o impacto na operação do transporte coletivo e as medidas necessárias para compensar o tempo de embarque e desembarque das bicicletas, além da operação de engate do equipamento.  



A adaptação do ônibus foi feita pela Urbs no espaço próximo à porta 5, onde as bicicletas ficarão instaladas na posição vertical, presas por cintos de segurança. O ciclista será responsável por prender sua bicicleta de forma a que não represente perigo para os demais usuários durante o deslocamento do ônibus.



O embarque será restrito, inicialmente, aos terminais do eixo leste/oeste – Campo Comprido; Campina do Siqueira; Capão da Imbuia; Vila Oficinas e Centenário; e também na estação tubo da Praça Rui Barbosa, sem restrição de horários.



O ônibus em que será possível embarcar com a bicicleta está identificado, na frente, por um adesivo com o pictograma da bicicleta. Na lateral, próximo a porta de embarque há adesivos indicando os horários e terminais de acesso e, internamente, instruções sobre como colocar a bicicleta corretamente no espaço que lhe é reservado.



O espaço para instalação de bicicleta ficou restrito à porta 5 para maior segurança de cadeirantes e pessoas com deficiência que têm espaços exclusivos e/ou prioritários a partir da porta 3. Os biarticulados têm cinco portas, distribuídas entre as três carrocerias unidas por duas articulações (sanfonas).



A linha Centenário/Campo Comprido tem 21 quilômetros de extensão e transporta, por dia, em média, em torno de 110 mil passageiros.



Mais bicicleta



O BRT Bike é mais um passo na política da atual gestão de criar condições para o uso da bicicleta e integrar os diferentes modais. Em 2013, por exemplo, a cidade passou a contar com a Via Calma no eixo da Avenida Sete de Setembro, experiência que, uma vez aprovada, começa a ser levada para os demais eixos de transporte. Quem passa, por exemplo, nas avenidas Paraná e João Gualberto, já percebe a sinalização da futura Via Calma do eixo Norte.



A cidade também passou a contar com ciclo rotas, novos trechos e interligações de ciclovias, sinalização para travessia com bicicleta em segurança e um trabalho permanente de conscientização de ciclistas e motoristas para uma convivência harmoniosa no trânsito.



Levar a bicicleta para dentro do ônibus é uma experiência inédita na cidade devido à complexidade da operação do transporte integrado. É mais um esforço do município para incentivar o cidadão o ciclista a usar o transporte coletivo nos deslocamentos mais distantes ou em regiões de trânsito mais congestionado.



Projeto BRT Bike permite o transporte de bicicleta dentro do ônibus em Curitiba